Natal 2017

Jornal SP Norte - Dircêo Torrecillas Ramos - 

Dirceo ceu 69adbAproxima-se o Natal. Cada habitante do lar comum, o planeta Terra, é um protagonista e ao mesmo tempo coadjuvante do grande espetáculo, durante cada ano que passa. Somos todos os artistas da enorme apresentação no cenário global. Representamos a alegria, a tristeza, o sofrimento, o prazer, as conquistas, as perdas; enfim, a vida e a morte. Tudo ocorre com drama, arte, lirismo e muitas outras vertentes, da mais ampla diversidade na unidade, porque a casa é comum e Ele é um só, como maestro da maior orquestra.

Todos, consciente ou inconscientemente, referem-se às suas palavras, cujos ensinamentos conduzem à melhor das vidas e ao correto caminho. Por isso não sabemos se as palavras são ditas mecânica e automaticamente ou se significam os sentimentos resultantes das verdadeiras contemplação e meditação, no exercício sincero da Doloxia, ou seja, do Louvor a Deus.

Assim, como corolário, na vida comum, como humanos e entre estes, ouvimos as expressões cotidianas, rotineiras ou não, misturadas com adaptações e outras populares, ignoradas quanto à origem Bíblica.

Para exemplificar, citamos: “Meu Deus”, “Graças a Deus”, “Deus me livre”, “Virgem Maria”, Mãe amada”. Em outras ocasiões: “Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra”, “A fé remove montanhas”, “Nenhum profeta é bem-recebido na sua própria terra”, “Santo de casa não faz milagres”, “Em casa de ferreiro o espeto é de pau”, “Depois da tempestade vem a bonança”, “Onde está a nossa fé?”, “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”, “O que é do homem o bicho não come”, “A justiça será feita”, “Os primeiros serão os últimos e os últimos os primeiros”, “Pois todo o que se exalta será humilhado e o que se humilha será exaltado”, “Fiel no pouco receberá mais...a todo aquele que tem, por ser fiel, será dado mais e terá em abundância e ao inútil, mau e preguiçoso, o que tem lhe será tirado” – “É dando que se recebe”.

Estas expressões apenas para evidenciar, entre muitas outras, alguns sentidos divinos e outros humanos. No primeiro caso temos a busca da Fé, a crença nas palavras do evangelho na realização da justiça, da paz, da esperança, do amor, conducentes ao caminho da vida eterna ao lado d’Ele. Entretanto, seres humanos em geral e das classes privilegiadas, privadas e principalmente públicas, utilizam as expressões para confundir, explorar, enganar os seus semelhantes em benefício de seus próprios interesses. Por isso não dão de si o máximo para receber e utilizam o “dando que se recebe”, no mau sentido da corrupção, oferecendo vantagens imorais para receberem, também, benesses indignas. Deturpam o bom sentido. Não amam a Deus acima de todas as coisas e ao seu semelhante como a si próprio. Por outro lado, o trabalhador fiel, honesto, cumpridor de seus deveres e aplicado, no pouco, como ser humano receberá muita responsabilidade no muito, com suas promoções, recompensas na terra, como aquele que receberá mais, espiritualmente, na parábola divina.

Apesar de tudo desejaremos a todos que encontrem a verdade. Passemos a compreender todas as manifestações do Rei dos Reis nas suas exatas significações. Tragamos à consciência o que se esconde no subconsciente e falemos com convicção. Com meditação e contemplação entenderemos suas palavras e encontraremos o caminho ao Seu encontro.

Finalmente, não olvidemos que Ele nos ensinou o sentido da vida, com Fé, Esperança e Caridade, nos deu o caminho. Retribuiremos com um pouquinho do muito que nos deu, para sua alegria. Dia 25 de Dezembro é o seu aniversário. Festejemos com Ele.