APLJ lastima a morte do Prefeito de SP, Bruno Covas

A Academia Paulista de Letras Jurídicas, por meio de seu Presidente, Ruy Altenfelder, lamenta a morte de Bruno Covas, homemBruno Covas 8ed19 competente, equilibrado, corajoso e exemplar. Fica o registro do nosso pesar aos familiares e amigos.

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas, de 41 anos, faleceu na manhã deste domingo, 16 de maio de 2021, às 08:20. Covas estava internado desde o dia 2 de maio no hospital Sírio Libanes.

Após exames para tratar de uma infecção na pele, em outubro de 2019, Bruno Covas foi diagnosticado com um câncer na cárdia, no sistema digestivo. Covas se submeteu a sessões de quimioterapia e posteriormente iniciou tratamento de imunoterapia. 

Em janeiro de 2021, o chefe do Executivo tirou licença de 10 dias para iniciar nova fase de tratamento. E, em abril deste ano, os médicos de Bruno identificaram novos focos de câncer nos ossos e no fígado. 

Trajetória de Bruno Covas:

Bruno Covas Lopes (Santos, 7 de abril de 1980 — São Paulo, 16 de maio de 2021) foi um advogado, economista e político brasileiro. Foi prefeito da cidade de São Paulo entre 6 de abril de 2018 e 3 de maio de 2021, quando se afastou do cargo em decorrência do câncer.

Era formado em direito pela Universidade de São Paulo e em economia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Entre outros cargos, foi deputado estadual, secretário estadual de Meio Ambiente de São Paulo, presidente do Juventude do PSDB e deputado federal.

Em 2015, foi sub-relator da Comissão Parlamentar de Inquérito da Petrobras e membro da Comissão Especial da Maioridade Penal. Em outubro de 2016 foi eleito vice-prefeito da cidade de São Paulo, na chapa de João Doria, assumindo a prefeitura em 6 de abril de 2018, em razão da renúncia de Doria.

Em 2020, Covas foi reeleito prefeito de São Paulo, tendo conseguido o feito inédito de vencer em todos os distritos eleitorais da cidade no primeiro turno.

Teve um filho chamado Tomás Covas Lopes, com sua ex-mulher Karen Ichiba. Tomás Covas desde pequeno participava de campanhas eleitorais de seu pai, cogitando se filiar ao PSDB.[9] Era neto do ex-governador do estado de São Paulo, Mário Covas.