Ives Gandra homenageia confrades e confreiras da APLJ com poesia

No dia 13/10/2018 em Jaguariúna, Ives Gandra, fez o Poema LXVII para a Academia Paulista de Letras Jurídicas, homenageando confrades e confreiras.Ives Gandra 2 37ff2

 

                                        Poema para a Academia Paulista de Letras Jurídicas

                                                                        I

                                                                         Esta minha Academia

                                                                         Com seus oitenta lugares

                                                                           Faz do Direito a alegria

                                                                          E o coloca em seus altares.

                                                                            II

                                                                         Quando o Direito enfraquece,

Pelo Poder pisoteado,

Sua voz torna-se prece,

Na defesa do bom lado.

III

Os caminhos do Direito

Mais os sonhos de Justiça

Para ser o mal desfeito

É parte de sua liça.

IV

Quais cavaleiros andantes

Seus oitenta lutadores,

Buscam as metas distantes

Da moral e seus valores.

V

Não temem os poderosos,

Pois acreditam no bem,

Por caminhos pedregosos,

Lutam por fins muito além.

VI

São astronautas do espaço

Do Direito para cima,

Pois o certo a cada passo,

Tem no justo sua rima.

VII

Os oitenta cavaleiros

Desta Cruzada moral

São eternos sinaleiros

No combate contra o mal.

VIII

Do Direito são seus mestres,

No Brasil bem conhecidos,

Nos cenários mais agrestes

Dão à vida seus sentidos.

IX

Minha linda Academia

Com seus oitenta ocupantes

Vivem constante porfia

Tanto agora, como dantes.

X

Quando ausente eu for um dia

Sei qu’um outro há de ocupar

Nesta minha Academia

O meu posto neste altar.

XI

Minha eterna Academia

Das Letras do Bom Direito

Na luta do dia a dia,

O justo torna perfeito.

XII

Minha Casa dos Paulistas

Que labutam nesta esteira,

No coração treze listras

Mantém de sua bandeira.

XIII

Minha bela Academia

Com seus oitenta juristas,

Em nossa democracia

São os heróis dos paulistas.